Semana Santa

31/03/2012 13:29

Domingo de Ramos

Neste Domingo, aclamamos Jesus como nosso Messias e Rei que vem realizar as promessas dos profetas e instaurar definitivamente o Reino de Deus: justiça para os pobres e marginalizados, participação de todos nos bens e na construção de uma sociedade alicerçada na justiça; convivência fraterna na partilha, paz no mundo entre as nações; o diálogo aberto e sincero entre as culturas; enfim, a realização plena do sonho de Deus para o nosso mundo, nosso planeta e a certeza da vida prenunciada para todos na Ressurreição de Jesus.

É dia de procissão litúrgica. É muito importante a nossa participação nela. Os ramos devem ser conservados como um sinal e testemunho de fé que queremos ser seguidores e seguidoras do Cristo nosso Mestre e participar da sua vitória pascal.

Lembramos também que, neste Domingo é feita a COLETA do gesto concreto da Campanha da Fraternidade.

Tríduo Pascal (Quinta-Feira, Sexta-Feira e Sábado Santo)

O Tríduo Pascal da Paixão e Ressurreição do Senhor começa com a Missa vespertina da Ceia do Senhor, possui o seu centro na Vigília Pascal e encerra-se as Vésperas do Domingo da Ressurreição (NALC, n. 19).
Missa da Ceia do Senhor  lava-pés (Quinta-Feira Santa)

Recorda-nos a Ceia do Senhor. Quando Ele prediz sua Paixão e Morte e despede-se dos apóstolos seus amigos, é a última ceia. Neste dia, Jesus institui a Eucaristia e o Sacerdócio. Na celebração o sacerdote lava os pés de doze membros da comunidade, na tradicional cerimônia chamada de Missa do Lava-Pés, recordando o gesto de Jesus em lavar os pés de seus discípulos e a dizer: Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei, significando que devemos servir e nos amar uns aos outros com total humildade, gratuidade e amor.

Ao final da Missa se faz a Trasladação do Santíssimo Sacramento e, a desnudação do altar e, segue-se um momento de adoração.

Paixão do Senhor (Sexta-Feira Santa)

Neste dia a Igreja recomenda o jejum e abstinência total de carne e acompanha em silêncio os passos de seu Senhor a caminho da condenação e sofrimento até sua entrega total na cruz (os jovens irão encenar a Paixão do Senhor). É o único dia que não se pode celebrar Missa ou qualquer outro sacramento na Igreja, exceto o da Reconciliação e/ou Penitência e da Unção dos Enfermos.

Nesta celebração que geralmente ocorre às 3 horas da tarde, isto é, a hora nona, os fiéis realizam a adoração da Santa Cruz e comungam-se da Eucaristia consagrada na noite anterior. Esta Ação Litúrgica se compõem de quatro partes: Liturgia da Palavra (em alguns lugares com encenação da Paixão), Oração Universal, Adoração do Senhor na Cruz e Comunhão. É um dia de intros-pecção, silêncio e reflexão.

Vigília Pascal (Sábado Santo)

É a vigília da Ressurreição do Senhor. É a Vida que vence a morte. A Ressurreição de Jesus é o milagre do começo da vida, vida nova que vence a morte.

O Círio Pascal, preparado e aceso com o fogo novo, luz que surge nas trevas, representa Cristo Ressuscitado vitorioso sobre a morte e, Senhor da história, luz que aquece e ilumina o mundo.

Ele é o Alfa e o ômega, Princípio e Fim.

Domingo da Páscoa do Senhor

Páscoa significa passagem. A Páscoa de Cristo é a sua passagem da morte para a Vida. A cruz tornou-se caminho para a ressurreição. É a vitória plena definitiva sobre a morte e todos os males. Desse modo, a ressurreição de Jesus mudou totalmente a história da humanidade e de cada ser humano.
        
A Páscoa é o mistério unificador de toda a nossa fé cristã, sendo assim, a festa principal da Igreja.

Conforme  NALC  (Normas sobre o Ano Litúrgico e o Calendário)